Notícias

Postado em 12 de Junho de 2017 às 16h33

Bares e restaurantes: um setor em expansão

Notícias (12)

Alimentação fora de casa é um ramo que cresce a cada ano, mas requer planejamento adequado.

 

O setor

Com expansão anual em torno de 10%, o setor de alimentação fora de casa – ou de bares e restaurantes, como é chamado pelos comerciantes do ramo – gera cerca de 450 mil novas oportunidades de emprego por ano, segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). A maioria das vagas são para garçons – 250 mil novos empregos anuais.

O garçom é a principal demanda de profissional por parte dos proprietários de bares e restaurantes. É uma função que não exige experiência prévia, não restringe por idade e pode ser exercida por todas as classes sociais, sem qualquer tipo de diferenciação. Os pontos negativos são a falta de profissionais para as vagas oferecidas e a alta rotatividade, que impede a qualificação.

Trabalhar no ramo de alimentação fora de casa parece ser simples, mas, na prática, é complexo e exige uma busca constante pela qualidade dos serviços oferecidos e amplo conhecimento do setor. Além disso, é necessário um planejamento adequado, desde o investimento inicial até o cumprimento das regras estabelecidas por órgãos municipais e federais.

Essa complexidade acaba resultando em um índice de mortalidade elevado entre os empreendimentos: 35% dos bares e restaurantes fecham as portas em dois anos, segundo dados da Abrasel.

Plano de negócio

Em qualquer ramo de atividade, quanto maior a pesquisa menor é o risco. Para bares e restaurantes, a orientação não é diferente. O presidente do Conselho de Administração Nacional da Abrasel, Célio Salles, recomenda que todo empresário faça, antes de iniciar a montagem de seu estabelecimento, um plano de negócio. Nesse planejamento, é preciso que existam os seguintes elementos:

• Identificação da oportunidade de negócio.
• Quantificação da clientela.
• Estimativa de faturamento.
• Investimento necessário.
• Custo operacional.

A conta é simples. O empreendedor deve avaliar o potencial/rentabilidade do negócio versus o retorno de investimento. Além de colocar no papel o que é necessário para montar seu negócio, o empresário também precisa realizar pesquisa sobre o potencial do empreendimento, saber qual é a estrutura necessária e conhecer o potencial de vendas do seu produto/serviço.


Fonte: Sebrae

Veja também

Cartão BNDES para MEI: Veja como solicitar11/08 Com a crise causada pela pandemia do novo coronavírus, as ofertas de crédito destinadas ao publico MEI (Microempreendedor Individual) teve um grande salto, isso se deve porque as empresas de pequeno porte estão sem capital de giro, devido ao fechamento do comercio e isolamento social. Logo o crédito se tornou uma grande apoio ao publico empreendedor. Com todo esse cenário de......
EMPRESÁRIO DESTAQUE EM TECNOLOGIA DEATEC – 201624/03/17 Na noite da última quinta-feira (22), a Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec) realizou mais uma edição do prêmio Empresário Destaque em Tecnologia. Na oportunidade, lideranças,......

Voltar para Notícias